Acalmando a mente

Agora, mais do que nunca, ouço muitas pessoas perguntando: quais são os sintomas da ansiedade?

É uma boa pergunta e você vai achar uma infinidade de materiais a respeito. Meu convite aqui é que você venha para o presente!

Se está aqui, talvez esteja se sentindo ansioso. Então procure lembrar como estava em seu estado de mais tranquilidade. Como estava seu sono e como está agora? Sua alimentação? Concentração? Humor? Respiração?

Não há sentimento bom ou ruim. Ansiedade, medo e tristeza fazem parte da vida, a questão é quando eles começam ganhar um tamanho maior do que deveriam, impactando negativamente no dia a dia.

A ansiedade em excesso nos tira do aqui e agora, como se a mente fosse levada por um redemoinho de pré-ocupações relacionadas ao futuro. A atenção plena, por sua vez, ajuda a nos trazer para o presente.

Como assim? É mais simples do que você imagina, e talvez, por ser tão simples, tenhamos perdido um pouco essa habilidade. A atenção plena nos convida a focar no que estamos fazendo! “Quando você beber, apenas beba; quando caminhar apenas caminhe”. Ditado zen.

Quando nos concentramos de verdade em uma tarefa simples, como respirar, lavar a louça, fazer exercício, envolvendo-nos com aquela atividade com o corpo e com a mente presentes, temos a chance de experimentar mais calma.

Compartilho um breve exercício. Por exemplo, ao beber um copo d’água, perceba antes a textura, o formato, o tamanho, a cor do copo — atente-se aos detalhes. Quando a água tocar seus lábios, sinta a temperatura, preste atenção a cada gole. E, do início ao fim, coloque sua intenção no que está fazendo.

Podemos exercitar a atenção plena também com o que acontece em nosso mundo interno, reconhecendo os próprios sentimentos, sem minimizá-los ou aumentá-los criando um enredo acerca deles que vai alimentando mais e mais pensamentos, colocando assim mais peso sobre aquilo que já está difícil. É um exercício de reconhecimento e acolhimento, com a intenção de ver as coisas tais como são, nem mais e nem menos.

Cuidar do que está dentro de si facilita lidar com o que está fora e responder melhor às dificuldades da vida. Manter-se em estado de presença, respirar, observar-se sem julgamento pode trazer mais bem-estar emocional.

“Quando a mente está agitada, o mundo também está.

Quando a mente está em paz, o mundo também está.

Conhecer a nossa mente é tão importante quanto tentar mudar o mundo.”

Haemin Sunim

Andressa Miiashiro.

Psicoterapeuta, orientadora de carreira e facilitadora de grupos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *