O que é sucesso mesmo?

Posso dizer que nos últimos tempos venho me questionando muito com relação a isso.

Não sei você, mas, durante a minha vida, aprendi que ter sucesso era frequentar uma faculdade de nome, conseguir um emprego bacana, assim como um cargo legal. Depois, como coach, consultora e psicoterapeuta, passei a perceber que eu precisava ter uma agenda cheia e dizer “estou na correria”. Parece que essa última frase tem até um certo glamour.

Não existe o certo e nem o errado, não é, mas posso falar pela minha experiência pessoal, e também do que acompanho nos processos de desenvolvimento que facilito, que esse tal sucesso que aprendemos está ficando ou já ficou insustentável.

Um dia, ouvi, em uma palestra de uma especialista em tratamento de estresse, que pessoas que tinham muito sucesso em uma área da vida, tinham complicações em outras. Como, por exemplo, ter muito êxito na área profissional, mas ficar doente por não ter tempo de cuidar-se, ou estar infeliz por não conseguir dedicar-se aos amigos, à família, aos hobbies, aos sonhos…

Penso, então: não seria possível ter sucesso sustentável?

Enxergo como sustentável aquilo que se conquista, mas que não destrói a si ou o que está ao redor. Como uma realização profissional obtida, mantendo também o que é saudável nas outras áreas da vida e sem pagar o preço da doença física ou emocional.

Portanto, em 2018 quero dizer cada vez menos “estou na correria” para dizer mais vezes “estou tranquila”, “estou caminhando”, será um dos meus termômetros de que estou vivendo com mais equilíbrio, respeitando o meu ritmo, trabalhando que é algo que eu amo, sem abrir mão do meu autocuidado, tendo assim uma vida mais sustentável.

E você, qual será o seu termômetro?